A SÍNDROME DO SHOPPING CENTER

Porque será que vimos nas maiorias dos shopping, esta frase: Breve mais um sucesso?. Porque será que deparamos sempre com uma loja fechada ou fechando?, Porque será que os consumidores transitam pêlos corredores e não entram nas lojas?. Pesquisas realizadas por órgãos competentes, apontam para uma queda nas vendas dos varejos de shopping, uma vez que os milhares de prováveis consumidores, transitam pêlos corredores em busca de “Lazer” e não de “Compras”, salvo raras exceções em períodos promocionais ou que antecedem as datas comemorativas, como: Páscoa, Dia das Mães, etc… É visível por todos a grande concentração de consumidores nas praças de alimentação e nas áreas de entretenimentos, enquanto que as demais ficam aguardando os clientes e sendo obrigadas a manter a sua máquina funcionando. O que falta? Será incompetência de gestão, falta de visão, o que será que esta acontecendo? Será que falta fidelizar os clientes? Tal fidelização é visível nas lojas ancoras, por já terem fixado a sua marca e chegam ao consumidor através da mídia pesada. Mais o que deve fazer os pequenos lojistas? O óbvio. Saber ouvir o cliente; aprender a ouvir o que o cliente quer; conquistar e fidelizar o cliente. Esta é a grande sacada para não colocar na porta a tão conhecida frase: Breve mais um sucesso. As vezes eu me pergunto: o negócio que estava ali, não foi um sucesso, por que? Como saber se o próximo será um sucesso? Poderia estar escrito, “Breve mais um fracasso”, não é. Bem, em um processo mercadológico, existem situações de demanda, tarefas e estratégias de marketing para cada caso, seja a situação negativa, ausente, declinante, estável, etc…, o que não se pode é ficar de braços cruzados esperando acontecer. Muitas vezes os lojistas preocupados com as vendas, para a cobertura de suas despesas e retorno do seu investimento, não conseguem detectar o problema, precisando que alguém que esteja de fora, lhe ofereça alternativas e estratégias de marketing, afim de reverter o quadro, muitas vezes, em estado terminal. Esses mesmos lojistas, que atravessam uma situação difícil, acham que investir em marketing é muito caro, porque só pensam nas mídias tradicionais e acham que elas são as mais indicadas para resolver o problema. Além de caras para o tipo de negócio, muitas vezes não representam a solução e sim agravam mais ainda. Em alguns casos a mídia alternativa é a mais indicada, tem um menor custo e pode ser mais eficiente. Como solução, indico o Marketing Direto, com ênfase no relacionamento e na fidelização dos clientes. Este é muito fácil, qualquer um pode implantar, basta seguir algumas regras básicas e sair na frente da concorrência. .

Flávio Silva

Diretor Executivo da ABETE

fbsilva@abete.com.br